União Africana suspende Níger após golpe militar
© Radio TV BantabaAll Rights Reserved

Por: Redação

Agosto 22, 2023

Agosto 22, 2023

CNN

A União Africana suspendeu o Níger após o país da África Ocidental ter sido tomado por uma junta militar a 26 de julho.

Num comunicado muito esperado, a União Africana (UA), composta por 55 estados-membros, decidiu “suspender de imediato a participação da República do Níger em todas as atividades da UA e dos seus órgãos até que a ordem constitucional no país seja efetivamente restaurada”.

Esta decisão foi tomada numa reunião a 14 de agosto pelo Conselho de Paz e Segurança da UA, a respeito do golpe militar no Níger.

A UA exortou tanto os seus membros como a comunidade internacional a “rejeitar esta alteração inconstitucional do governo e a abster-se de qualquer ação que possa legitimar o regime ilegal no Níger”.

O referido Conselho também solicitou uma avaliação da decisão da CEDEAO, o bloco da África Ocidental, sobre a preparação de uma força de reserva para possível intervenção no Níger.

O Conselho irá analisar as implicações económicas, sociais e de segurança de destacar uma Força de Reserva no Níger.

Os líderes da CEDEAO deram inicialmente à junta um ultimato de sete dias para restabelecer o poder ou enfrentar consequências, inclusive ações militares. No entanto, houve várias tentativas de diálogo e diplomacia por parte da CEDEAO e aliados, incluindo os EUA e a União Europeia.

Um alto representante da CEDEAO afirmou na sexta-feira que estão prontos para avançar com uma intervenção militar no Níger. O Comissário da CEDEAO para Assuntos Políticos, Paz & Segurança, Abdel-Fatau Musah, declarou numa conferência de imprensa no Gana que a CEDEAO não está disposta a manter “um diálogo interminável” com a junta e que as forças militares estão “prontas para agir assim que a ordem for dada”.

A União Africana manifestou a sua “solidariedade” com os esforços da CEDEAO para restaurar a ordem constitucional no Níger “por meios diplomáticos”.

No comunicado oficial, a UA instou a junta militar a colocar “os supremos interesses do Níger e do seu povo acima de tudo” e a “regressar de imediato e incondicionalmente aos quartéis, submetendo-se às autoridades civis de acordo com a Constituição do Níger”.

A suspensão da UA ocorre dias depois da junta propor um regresso à democracia num prazo de três anos.

O líder militar do Níger, General Abdourahamane Tchiani, que depôs o Presidente Mohamed Bazoum num golpe, afirmou numa declaração televisiva que nem a junta “nem o povo do Níger querem guerra, permanecendo abertos ao diálogo”. Acrescentou que os princípios da transição seriam decididos nos próximos 30 dias, numa iniciativa de diálogo nacional conduzida pela junta, e que a transição “não deverá ultrapassar três anos”.

RTB/CNN

Artigos relacionados

Armando Lona detido pela polícia.


Armando Lona detido pela polícia.

O  Coordenador da Frente Popular, Armando Lona, está detido pelas forças de ordem, na sequência da manifestação pacífica deste sábado, 18, em Bissau. Também, para além da Presidente da Associação Juvenil para Promoção e Defesa dos direitos humanos, a CFM soube da...

Gibril Bodjam detido em Gabú

Gibril Bodjam detido em Gabú

Ativista Social Gibril Bodjam detido esta manhã pela Policia de Ordem Pública de Gabú durante conferência de  imprensa na sequência da marcha...

0Comentarios

0 Comments

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE