O homem responsável pelo assassinato da filha sob custódia da polícia judiciária guineense
© Radio TV BantabaAll Rights Reserved

Por: Tidjane Cande

Abril 28, 2022

Abril 28, 2022

Depois de duas semanas de fuga, a Polícia Judiciária guineense deteve esta quinta-feira, o homem que assassinou a facada a sua própria filha de dezasseis anos no passado dia onze (11-04) deste mês em Bor, arredores de Bissau.

Segundo as informações junto da instância judiciária do país, a polícia judiciária entidade competente para investigar os crimes de homicídios, deteve em São Vicente, região de Cacheu norte do país, o homem suspeito de assassinar a facada a sua própria filha de dezasseis anos.
De acordo com as informações, o suspeito estava a tentar fugir para a República vizinha do senegal e foi interpelado pelos agentes da guarda nacional.

A fuga do suspeito que teria fugido das autoridades judiciais, após as discussões entre o delegado do ministério público e a guarda prisional, motivou a reação das organizações que lutam contra a violência baseada em género e o parlamento infantil.

Na semana passada o parlamento nacional infantil e o movimento “Mindjer Ika Tambur” promoveram uma vigília conjunta frente das instalações da diretoria nacional da polícia judiciária e do ministério público, exigindo a melhor explicação da fuga do suspeito.

Em reação, ao ocorrido o diretor nacional da polícia judiciária guineense, Domingos Monteiro Correia, nega o envolvimento da sua instituição na detenção do suspeito em causa, e remeteu as responsabilidades a serviços prisionais e o ministério público.

O diretor nacional da polícia judiciária disse que em nenhuma circunstância a sua instituição chegou a prender o suspeito.

//RTB

@TIDJANE CANDE

Artigos relacionados

Ministra de justiça quer novo estabelecimento prisional

Ministra de justiça quer novo estabelecimento prisional

A ministra da Justiça e dos Direitos Humanos afirmou que pretendem reabilitar ou fazer uma construção imediata de um estabelecimento prisional com condições mínimas que permita boas condições de habitabilidade aos prisioneiros. Teresa Alexandrina Silva disse ainda...

0Comentarios

0 Comments

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.