Órgãos públicos iniciam greve de seis dias.
© Radio TV BantabaAll Rights Reserved

Por: Mamasamba Balde

Abril 7, 2022

Abril 7, 2022

O Sindicato Nacional dos Profissionais dos Órgãos Públicos de Comunicação Social(SINPOPUCS), iniciou hoje uma greve de seis dias nos referidos órgãos, em reivindicação do incumprimento por parte do Governo de vários compromissos com o sindicato.

De acordo com o Pré Aviso de Greve o SINPOPUCS exige o cumprimento imediato de alguns pontos constantes no Memorando de entendimento, assinado no dia 06 de Dezembro de 2021, para o levantamento da greve.

Os pontos reivindicados são, a criação de uma Comissão Técnica Interministerial para a conclusão do processo de efectivação em curso, pagamento  de subsídio em atraso, reposição imediata do subsídio  suspenso em 2018, pelo então Governo em decorrência de aumento salarial verificado na Função Pública, bem  como a criação de uma Comissão Técnica para actualização dos estatutos de jornalistas e técnicos da comunicação social e elaboração da respectiva tabela salarial.

Segundo a (ANG) que a Comissão Negocial do SINPOPUCS e o Governo representado pelo Director-geral do Trabalho e a Secretária-geral do Ministério da Comuinicação Social sentaram-se hoje à mesa de negociações mas não chegaram a um consenso.

Por outro lado a Secretária-geral do MCS, Germana Fadul, o processo de efectivação de funsionários que têm trabalhado há vários anos com estatuto de “Estagiários” outros como “Contratados”, está bastante avancado e aguarda no Gabinete do Primeiro-ministro a apreciação final com vista a sua devolução ao  Ministérios da Administração Pública, Trabalho, Emprego e Segurança Social para efeitos de integração efetiva dos visados no funcionalismo público.

O SINPOPUCS é constituído pelos sindiocatos de base dos trabalhadores da Agência de Notícias da Guiné(ANG), do Jornal Nô Pintcha, da Rádio Difusão Nacional(RDN) e da Televisão da Guiné-Bissau(TGB).

//RTB – ANG

Artigos relacionados

CNE: ANP admite assumir responsabilidade caso não haja consenso.

CNE: ANP admite assumir responsabilidade caso não haja consenso.

O Presidente da Assembleia Nacional Popular(ANP) Cipriano Cassamá,  almeja  “consenso “ entre partidos políticos, admitindo que o Parlamento guineense assumirá a sua responsabilidade para “desbloquear o país”. Em Declaração à imprensa esta quinta-feira (08.12) à saída...

0Comentarios

0 Comments

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE