Uma cimeira para transformar a educação.
© Radio TV BantabaAll Rights Reserved

Por: Redação

Setembro 20, 2022

Setembro 20, 2022

Artigo de opinião

Enquanto pais, professores e alunos se preparam para o regresso às aulas este outono, poucos pensavam no facto de que, em todo o mundo, a educação está em profunda crise. Esta é uma crise lenta e muitas vezes invisível, mas os seus impactos afetam-nos a todos. Na próxima Cimeira das Nações Unidas para Transformar a Educação, os líderes mundiais terão uma oportunidade única de tomar medidas decisivas. As Nações Unidas e a União Europeia pedem agora a todos os Estados-membros que cumpram os compromissos necessários para garantir que todas as meninas e meninos tenham acesso, desfrutem e beneficiem de uma educação relevante, moderna e de alta qualidade. Os seus direitos e o nosso futuro coletivo dependem disso.
A educação é a ferramenta mais poderosa e transformadora que temos para capacitar meninas e meninos com esperança, competências e oportunidades para o seu futuro. Também abre caminho para resolver muitos dos desafios mundiais de hoje. No entanto, em muitas lugares, a pobreza e as desigualdades ainda exercem uma grande influência sobre a frequência e o rendimento escolar. E em todo o mundo, os sistemas educacionais estão a lutar para equipar os alunos com os valores, competências e conhecimentos necessários para prosperar num mundo em rápida mudança.
A pandemia da covid-19 exacerbou uma crise pré-existente e o fosso mundial de financiamento para a educação aumentou significativamente. Mesmo antes da pandemia, os governos gastavam menos da metade da quantia necessária em educação. Desde então, dois em cada três governos cortaram os seus orçamentos para a educação, enquanto alguns doadores internacionais anunciaram a sua intenção de reduzir a ajuda ao setor.
É urgente uma ação coletiva para o ensino orientado para o futuro e o financiamento da educação, se quisermos recuperar as perdas de aprendizagem relacionadas com a pandemia e garantir que crianças e jovens em todos os lugares tenham garantido o seu direito à educação, conforme consagrado no Artigo 26 da Declaração Universal dos Direitos Humanos.
Investir em educação tem um impacto transformador em todos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Promove a igualdade de género: as meninas instruídas estão mais propensas a participar nas decisões que mais as afetam, a viver vidas mais longas e saudáveis e a obter rendimentos mais elevados. Dá uma grande contribuição para o desenvolvimento nacional: cada euro gasto em educação pode gerar 10 a 15 euros em crescimento económico. E formar cidadãos informados e empoderados, pode ajudar os países a enfrentar grandes desafios, como alterações climáticas, colapso social, conflito, violência baseada no género e muito mais.
A União Europeia (UE) está a aumentar significativamente o seu investimento na educação nos países parceiros. A UE dedicará mais de 10% do seu orçamento de parcerias internacionais, mais de 6 mil milhões de euros, à educação a nível mundial.
Agora precisamos que outros façam o mesmo. O secretário-geral da ONU convocou todos os líderes governamentais e todos os atores, incluindo o setor privado e a sociedade civil, como parte de uma mobilização mundial, a assumir compromissos concretos para aumentar o financiamento para a educação.
No Cimeira para Transformar a Educação, os representantes de todos os países e parceiros enfrentam um momento de verdade: agora é a hora de, em conjunto, diminuir o fosso de investimento para enfrentar a crise mundial da educação. Agora é a hora de investir na recuperação do ensino e ajudar a colocar novamente os ODS no caminho certo. Deste modo, será possível lançar as sementes para a transformação dos nossos sistemas educativos, para que a educação prepare melhor os alunos e para que estes possam contribuir para um futuro mais inclusivo, pacífico, sustentável e justo, não deixando ninguém para trás.

Por: Amina J. Mohammed, secretária-geral adjunta das Nações Unidas e Jutta Urpilainen, comissária da União Europeia para as Parcerias Internacionais

RTB

Artigos relacionados

Nova Iorque: CEDEAO decide impor sanções contra a Guiné Conakry

Nova Iorque: CEDEAO decide impor sanções contra a Guiné Conakry

Reunidos em cimeira extraordinária esta quinta-feira, 22 de setembro de 2022, em Nova Iorque, à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas, os Chefes de Estado da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), decidiram impor sanções adicionais...

0Comentarios

0 Comments

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE