Abertura das actividades de Coris Bank Internacional.
© Radio TV BantabaAll Rights Reserved

Por: Redação

Março 30, 2022

Março 30, 2022

Economia/ “Sem crescimento económico sustentável torna-se dificil consolidar a coesão do tecido social guineense”, diz o Presidente Sissoco Embaló.

Bissau, 30 mar 22 (ANG) – O Presidente da República disse hoje que sem o crescimento económico sustentável torna-se dificil consolidar a coesão do tecido social guineense, assim como salvaguardar a estabilidade das instituições públicas.Umaro Sissoco Embaló falava na cerimónia oficial de abertura das actividades de Coris Bank Internacional no país. O chefe de Estado desejou que a nova entidade bancária – Coris Bank Internacional traduzisse as suas operações na mobilização da poupança interna e externa, no investimento na economia nacional, na produção de bens e serviços, no fortalecimento do tecido empresarial e crescimento económico da Guiné-Bissau.Para o Presidente Sissoco, a presença do Coris Bank Internacional na Guiné-Bissau representa uma confiança no mercado guineense, e diz ser sempre gratificante para um chefe de Estado testemunhar o estabelecimento de novas instituições e projectos.Do presidente do Grupo Coris Bank Intenacional, Idrissa Nassa, o chefe de Estado guineense ouviu que o novo banco ambiciona desenvolver na Guiné-Bissau novo modelo da indústria bancária para contribuir no desenvolviemnto do país.Myriam Kone, Diretor-geral deste banco na Guiné-Bissau reiterou, na ocasião, que a instituição vai oferecer serviços e produtos inovadores adptados às necessidades dos autores económicos e à custos competitivos.Declarou que a instituição pretende tornar-se num parceiro previlegiado e um portador de projectos nos sectores do comércio, indústria, agricultura e noutros sectores de desenvolvimento.“A confiança, a originalidade, integridade e sociabilidade definem o lote do Coris Bank Internacional”, disse Myriam Koné.Com a abertura da sucursal da Guiné-Bissau, o Coris Bank Internacional está agora presente em nove países: Benin, Burkina Faso, Côte dIvoire, Guiné, Guiné-Bissau, Mali, Níger, Senegal e Togo.

RTB/ANG/LPG/ÂC//SG

Artigos relacionados

Ministra de justiça quer novo estabelecimento prisional

Ministra de justiça quer novo estabelecimento prisional

A ministra da Justiça e dos Direitos Humanos afirmou que pretendem reabilitar ou fazer uma construção imediata de um estabelecimento prisional com condições mínimas que permita boas condições de habitabilidade aos prisioneiros. Teresa Alexandrina Silva disse ainda...

0Comentarios

0 Comments

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado.