Tentativa de Golpe na Bolívia Enquanto Presidente Apela à Mobilização Popular
© Radio TV BantabaAll Rights Reserved

Por: Redação

Junho 26, 2024

Junho 26, 2024

Reuters

LA PAZ, Bolívia — Veículos blindados arrombaram as portas do palácio do governo da Bolívia na quarta-feira, numa tentativa de golpe que parece ter falhado, enquanto o presidente Luis Arce afirmou que o país se mantinha firme contra os ataques à democracia e instou o povo a mobilizar-se.

Num vídeo de Arce, cercado por ministros no palácio, ele disse: “Aqui estamos, firmes na Casa Grande, para enfrentar qualquer tentativa de golpe. Precisamos que o povo boliviano se organize.”

Arce confrontou o comandante geral do exército — Juan José Zúñiga, que parecia liderar a rebelião — no corredor do palácio, como mostrado num vídeo na televisão boliviana. “Eu sou o seu capitão e ordeno-lhe que retire os seus soldados, e não permitirei esta insubordinação,” disse Arce.

Antes de entrar no edifício do governo, Zúñiga disse a jornalistas na praça: “Seguramente em breve haverá um novo Gabinete de ministros; o nosso país, o nosso estado não podem continuar assim.” Zúñiga disse que “por enquanto” ele reconhece Arce como comandante em chefe.

Zúñiga não disse explicitamente que está a liderar um golpe, mas no palácio, com ruídos de fundo, ele disse que o exército estava a tentar “restaurar a democracia e libertar os nossos prisioneiros políticos.”

Numa mensagem na sua conta no X, Arce apelou para que “a democracia seja respeitada.” Isto ocorreu enquanto a televisão boliviana mostrava dois tanques e vários homens em uniforme militar em frente ao palácio do governo.

“Não podemos permitir, mais uma vez, que tentativas de golpe tirem a vida dos bolivianos,” disse ele de dentro do palácio, cercado por oficiais do governo, numa mensagem em vídeo enviada às agências de notícias.

Uma hora depois, Arce anunciou novos chefes do exército, marinha e força aérea, entre o rugido de apoiantes. Um vídeo mostrou tropas a montar barricadas fora do palácio do governo. Ele disse que as tropas que se levantaram contra ele estavam a “manchar o uniforme” das forças armadas e prometeu que a democracia seria respeitada.

“Ordeno a todos os que estão mobilizados que regressem às suas unidades,” disse o recém-nomeado chefe do exército, José Wilson Sánchez. “Ninguém quer ver as imagens que estamos a ver nas ruas.”

Logo depois, tropas e veículos blindados começaram a recuar do palácio presidencial da Bolívia.

A liderança do maior sindicato da Bolívia condenou a ação e declarou uma greve indefinida das organizações sociais e laborais em La Paz em defesa do governo.

O incidente foi recebido com uma onda de indignação por outros líderes regionais, incluindo a Organização dos Estados Americanos; Gabriel Boric, o presidente do vizinho Chile; o líder de Honduras, e ex-líderes bolivianos.

A Bolívia, um país com 12 milhões de pessoas, tem visto protestos intensificados nos últimos meses devido à queda acentuada da economia, que passou de uma das que mais crescia no continente há duas décadas para uma das mais afetadas pela crise.

O país também tem visto uma rutura de alto perfil nos mais altos níveis do partido no governo. Arce e o seu antigo aliado, ícone da esquerda e ex-presidente Evo Morales, têm batalhado pelo futuro do Movimento para o Socialismo, conhecido pela sigla MAS, em divisão, antes das eleições de 2025.

Reuters/RTB

Artigos relacionados

JOVENS DA GUINÉ -BISSAU QUE DESAPARECERAM DE ESTÁGIO JÁ APARECERAM Os rapazes estavam em Portugal por conta da participação no Torneio Luso Cup e...

0Comentarios

0 Comments

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE