PR Umaro Sissoco Embalo nega envolvimento da Guiné-Bissau no conflito entre Senegal e os rebeldes do Casamance

No aeroporto Osvaldo Vieira, depois do seu regresso ao país, após dois dias em Dakar no tratamento médico, o Presidente da República Umaro Sissoco Embaló desmentiu o envolvimento das forças armadas da Guiné-Bissau no conflito entre forças senegalesas e os rebeldes de Casamance.

“Penso que há muitas desinformações, mas se têm dúvidas podem ter com Ministro da Defesa e do Interior, responsáveis pela defesa nacional e eles vão explicar. Temos que parar com as especulações. Tudo isso não passa de uma mentira. Pessoas têm dificuldads em interpretar relações e todos sabem qual é a minha relação com Presidente Senegalês.” Disse

Sobre antigo primeiro-ministro Aristides Gomes que se deslocou esta sexta-feira ao estrangeiro para tratamento médico, o Chefe de Estado falou das deligências.

“Como sabem o cidadão Aristides Gomes, depois de ter acompanhado a dinâmica desestabilização do processo eleitoral, foi-se para as Nações Unidas, ninguém o mandou lá. Ele tem problemas com a justiça e não comigo e nem com governo. Mas com a intervenção do Presidente Macky [Sall] e [Muhammadu] Buhari, e eu falei com o PGR para o ouvir caso tenha, fiz só contato entre as pontes.” Explicou

Umaro Sissoco nega ter expulsado a Ordem dos Advogados da sua sede, porém, alega a questão de segurança. Mas mesmo assim, garante que a Ordem dos Advogados da Guiné-Bissau foi indicada para alojar num dos edifícios construídos pela Segurança Social.

E por fim, o Presidente Embalo afirma que “houve rumores da tentativa de Golpe de Estado no qual a sua integridade física, do Ministro de Interior, da Defesa e do Chefe de Estado Maior das Forças Armadas estariam ameaçada.

RT Bantaba

Magno da Costa

Share via
Copy link
Powered by Social Snap