A Guiné-Bissau assumiu uma das vice-presidencias do parlamento da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) através da deputada do Movimento para Alternância Democrática (MADEM), Adja Satu Camará, durante a legislatura 2020/2024.

Segundo a informação noticiada pela agência lusa esta terça-feira, 10 de março de 2020, a Serra Leoa vai presidir o parlamento daquela organização sub-regional, através do seu deputado, Sidie Mohamed Tunis, eleito na segunda-feira, em Niamey (Níger) no arranque da sessão inaugural da quinta legislatura do parlamento da comunidade. Sidie Mohamed Tunis substitui no cargo o senegalês Moustapha Cissé.

O cargo de presidente do Parlamento é atribuído aos Estados-membros em regime de rotatividade estabelecido por ordem alfabética, explicou, em nota, a CEDEAO.

Na mesma sessão foram eleitos os quatro vice-presidentes do parlamento, onde se inclui a deputada Adja Satu Camará Pinto, da Guiné-Bissau. Para as restantes três vice-presidências foram eleitos Ahmed Idris Wase, da Nigéria, Sani Malam Chaibou, do Níger, e Atcholi Aklesso, do Togo.

A sessão inaugural da nova legislatura do parlamento da CEDEAO decorre até 13 de março, em Niamey, e contou na abertura com a intervenção do Presidente do Níger e presidente em exercício da conferência de chefes de Estado e de Governo da CEDEAO, Mahamadou Issoufou.

O parlamento da CEDEAO é composto por 115 deputados, distribuídos conforme a população de cada um dos 15 estados-membros. A Guiné-Bissau e Cabo Verde têm cinco representantes cada um.

A Nigéria tem 35 deputados, quase um terço de todos os lugares disponíveis. O Gana com oito lugares e a Costa do Marfim com sete seguem-se como os países mais representados.

Burkina Faso, Guiné-Conacri, Mali, Níger e Senegal têm seis representantes, enquanto o Benim, Gâmbia, Libéria, Serra Leoa e Togo ocupam cinco assentos cada um.

Recorde-se que a deputada Adja Satu Camará do MADEM-G 15, foi eleita em junho de 2019, vice-presidente do parlamento guineense. Antiga militante do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Satu Camará já assumiu funções de ministra do Interior na Guiné-Bissau e é a primeira mulher guineense a ter a patente de major-general.

O Democrata/lusa