Mais de 150 pessoas, entre portugueses e outros cidadãos europeus e de Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), pediram à embaixada de Portugal na Guiné-Bissau auxílio para sair do país, disse hoje à Lusa fonte daquela representação diplomática.

Entre os que solicitaram auxílio para regressar aos seus países de origem estão, segundo a mesma fonte, pessoas doentes, que são prioritárias, cidadãos portugueses residentes e não-residentes na Guiné-Bissau, bem como cidadãos de outros países da União Europeia e dos PALOP.

A fonte explicou que as pessoas se têm dirigido à embaixada a pedir auxílio e que os nomes e contactos estão a ser recolhidos.

As autoridades da Guiné-Bissau encerraram hoje as fronteiras terrestres, aéreas e marítimas no âmbito do combate à pandemia do novo coronavírus, com ressalva para evacuações médicas, abastecimento de medicamentos e para importações de bens alimentares de primeira necessidade.

Foram também encerrados todos os mercados a nível nacional, excetuando a venda de produtos alimentares, interditadas praias e piscinas, igrejas, mesquitas e outros locais de culto religioso às sextas-feiras, sábados e domingos.

As escolas públicas e privadas foram igualmente encerradas, bem como bares, restaurantes e outros locais onde se pode comer e beber.

A Guiné-Bissau é um dos países mais pobres do mundo e tem um sistema de saúde bastante frágil com graves carências de equipamentos e materiais.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 200 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.200 morreram.

No continente africano há 33 países afetados pela pandemia de Covid-19, que conta já quase 600 casos, entre os quais o Senegal e a Guiné-Conacri, que fazem fronteira com a Guiné-Bissau.

A Organização Mundial de Saúde pediu hoje aos países do continente africano para se prepararem para o pior.

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, declarou hoje o estado de emergência para o país, que entra em vigor às 00:00 de quinta-feira e que vai prolongar-se até 02 de abril.

Portugal regista dois mortos em 642 casos de infeção pelo novo coronavírus.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros criou a linha de emergência Covid-19 para apoiar cidadãos portugueses que se encontrem transitoriamente no estrangeiro.

Os portugueses podem contactar o serviço através do ‘email’ covid19@mne.pt ou da linha telefónica +351 217929755 entre 09:00 e as 17:00 e o Gabinete de Emergência Consular, que funciona 24 horas por dia.

Sapo24