O presidente da Comissão da CEDEAO, Jean-Claude Kassi Brou, disse hoje, 9 de fevereiro de 2020, que os chefes de Estado da organização pediram ao Supremo Tribunal da Guiné-Bissau que se pronuncie até 15 de fevereiro sobre o contencioso eleitoral.

“Os chefes de Estado analisaram longamente a situação e pediram que o Supremo Tribunal examine esta questão, em conformidade com as disposições constitucionais da Guiné-Bissau, até 15 de fevereiro”, disse Jean-Claude Kassi Brou.
O presidente da Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Ociental (CEDEAO) falava aos jornalistas hoje, em Addis Abeba, no final de uma reunião de quase três horas convocada à margem da cimeira da União Africana para analisar o impasse pós-eleitoral resultante da divulgação dos resultados da segunda volta das presidenciais de 29 de dezembro.
“Todos os países estiveram representados. Foi uma discussão muito longa e muito importante e penso que esta decisão vai permitir-nos avançar, com o objetivo de chegar rapidamente à normalização institucional e política da Guiné-Bissau”, disse.
Jean-Claude Kassi Brou remeteu mais pormenores sobre o encontro para um comunicado a emitir pela organização.
A CEDEAO integra o Benim, Burkina Faso, Cabo Verde, Costa do Marfim, Gâmbia, Gana, Guiné Conacri, Guiné-Bissau, Libéria, Mali, Níger, Nigéria, Senegal, Serra Leoa e Togo.

LUSA/RADIOBANTABA